quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

QUE ABSURDO!

QUE ABSURDO!
Você faz parte desta peça. Venha comigo e participe do desenrolar de uma das mais fascinantes histórias narrativas da redenção (Lc 1. 5-23). Vamos começar? Você já sabe da última novidade? “Qual?” Ué! Zacarias e Isabel vão ter um filho. “Quem são eles?” É um casal de idoso que mora perto de minha casa, lá na chapada de Judá, cuja mulher é estéril. “Que absurdo! Um homem velho, com uma mulher avançada em idade, e, além disso, estéril, vão ter um filho? Conta outra! E mais, você está me contando que isso não é fruto da engenhosidade da ciência, mas um milagre”. Sim. “Milagre! Pare com essas crendices! Já vem você com esse negócio de sobrenatural, de promessa, de fé e intervenção divina”. Rapaz (moça) é verdade. O casal mora na região montanhosa da cidade de Judá. E tem mais, eles são muito crentes. Aliás, o homem é um sacerdote chamado Zacarias conhecido de todo povo e sua mulher chama-se Isabel, sua família também é bastante conhecida.
Olhe, o senhor Zacarias e dona Isabel levam a sério esse negócio de Palavra de Deus. Eles são justos diante de Deus. Ninguém tem do que os acusar, pois ambos vivem irrepreensivelmente em todos os seus procedimentos à vista do povo e guardam os mandamentos do Senhor (Lc 1. 6). “Cara, agora quero saber mais sobre esta história. Como aconteceu isso? Fale mais sobre essa história para mim. Fiquei curioso”. Pois bem. Vou te contar. Farei uma síntese para você desta maravilhosa história. É o seguinte: Zacarias teve que entrar no santuário do Senhor para realizar suas funções sacerdotais, e, então lhe apareceu o anjo do Senhor. Quando Zacarias viu o anjo ficou apavorado e cheio de temor. A primeira coisa que o anjo falou foi: “Zacarias, não temas, a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, a quem darás o nome de João” (Lc 1. 13). E o anjo falou mais: “Em ti haverá prazer e alegria, e muitos se regozijarão com o seu nascimento. Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte, será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno. E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado (Lc 1. 14-17). Nesta ocasião, o casal já era avançado em dias e Isabel era estéril (Lc 1. 7, 18), mas mesmo assim, o anjo disse que eles teriam um filho e orientou até sobre o nome que deveria ser colocado no menino: João. Contudo, além de outras coisas, isto aconteceu porque Zacarias orava ao Senhor pedindo um filho.
Sei que você está um tanto confuso. Deixe-me lhe falar uma coisa: não o recrimino por causa da sua falta de fé, pois até Zacarias duvidou quando recebeu a notícia por parte do anjo Gabriel. Eu sei que milagre extrapola a razão. Ainda mais, um desta natureza. Mais é isso mesmo! É preciso dizer que as promessas não descartam os questionamentos. Nem sempre sabemos como. Nem sempre sabemos a forma. No entanto, o que precisamos saber é que a Palavra de Deus não cairá por terra nem no esquecimento. E o que precisamos fazer é orar sempre. Orar sem cessar. Orar com perseverança. Orar até que o Senhor se compadeça de nós. Leia as palavras do próprio Zacarias e você verá que ele também tinha dúvida: “Então, perguntou Zacarias ao anjo: Como saberei isto?Pois eu sou velho, e minha mulher, avançada em dias. (Lc 1. 18). Na verdade Zacarias não acreditou nas palavras do anjo Gabriel (Lc. 1. 20). O sacerdote Zacarias fez uma pergunta. Ele queria saber como. Há muitas coisas que queremos saber como isto sucederá. Sabe de uma coisa: nunca saberemos como, mas acontecerá sem dúvida, porque o Senhor disse. Sabe o que te incomoda? É o como. Mas o que precisa saber é que Deus falou. Em alguns casos nem os anjos sabem como, mas uma coisa eles sabem, eles sabem que o Senhor falou. Agora leia as palavras do anjo: “Respondeu-lhe o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para falar-te e trazer-te estas boas novas” (Lc 1. 19). O anjo não sabe como, mas sabe quem o enviou, porque o enviou e para o que o enviou. Enquanto Zacarias queria sabe como, o anjo respondeu que não sabia como. A única coisa que sabia é que foi enviando como portador e transmissor de boas novas. É como se o anjo dissesse: “Sei lá! O que sei é que Deus me enviou para lhe comunicar uma excelente notícia”. Uma notícia estupenda. Uma boa nova em resposta a oração. “Zacarias, [...] a tua oração foi ouvida” (Lc 1. 13). Não compete a nós saber como ou de que forma, mas sim confiar e esperar no Deus das promessas, fiel e imutável. Quero concluir esta curta prosa com você dizendo: “Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas” (Lc 1. 37). “Rapaz, te confesso que essa história me tocou”. Sei disso, porque também fui tocado por ela. Olhe, Deus pode fazer coisas grandes e tremendas. Creia em sua Palavra. Abra o seu coração. Peça a Deus para lhe falar por meio da Sagrada Escritura. Deus te abençoe! Depois ou outro dia conversaremos novamente. “Vou aguardar”. Claro. Fique com Deus.

Nenhum comentário: