quinta-feira, 1 de julho de 2010

A PEDAGOGIA DO DESERTO


A PEDAGOGIA DO DESERTO

Deserto é sinônimo de crise, sofrimento e problema. O deserto é uma escola de nível superior. Por essa razão podemos afirmar que o deserto tem uma pedagogia relevante, conteúdo objetivo e prático, métodos eficientes e propósitos elevados. O capitulo 8 do Livro de Deuteronômio exemplifica de modo claro a respeito dessa verdade. O deserto é uma faculdade. Nela o individuo faz curso de bacharel, licenciatura, pós-graduação, mestrado e doutorado em amadurecimento cristão. O curso na faculdade do deserto pode ser curto, mas, também pode ser longo. Para Israel teve a duração de quarenta anos. O período do curso não depende da pessoa, mas do currículo elabora por Deus e dos seus propósitos. Deus tem métodos e sempre tem propósito mais elevado para o seu povo. Quais são os seus métodos e o seu propósito?

1) O PASSADO (Dt 8. 2). “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo o qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarentas anos”. O passado é um excelente instrumento e método pedagógico. Por meio dele somos recordados sempre que preciso acerca de coisas importantes. A história sempre tem muito a nos ensinar. Ela nos ensina sobre o que fazer, mas também nos ensina sobre o que não fazer, ensina como fazer, mas nos ensina também sobre como não fazer. Temos muito a aprender com os acontecimentos do passado. As lições do passado são fundamentos determinantes acerca do procedimento no futuro. Por isso, quem não aprende com o passado, não desempenhará bem as funções nos dias vindouros. As pessoas que ignoram os acontecimentos históricos cometerão os mesmos erros dos seus antepassados e ainda outros piores. Por isso, o povo de Deus sempre é convocado a recordar-se do seu Senhor e dos seus feitos na história da redenção. Portanto, não sepulte o passado nem se esqueça da história. A amnésia espiritual pode produzir no coração humano orgulho. O esquecimento acerca do Deus da história e dos seus feitos pode fazer com que os homens caiam nas armadilhas da soberba. Portanto, cuidado! Lembre-se do passado.

2) O SOFRIMENTO (Dt 8. 2). “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo o qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarentas anos, para te humilhar, para te provar ”. O deserto é lugar de preparação. O sofrimento é um instrumento de Deus para despertar as pessoas da letargia e do coma espiritual. Deus usa vários meios para nos ensinar, dentre eles, a crise. Talvez você esteja enfrentando um tempo difícil. O seu deserto parece não ter fim, mas uma coisa é certa, ele pode parecer uma eternidade, contudo, tem finalidade. Deus não é uma pessoa sarcástica. Ele não tem prazer no sofrimento dos seus filhos e filhas, mas, às vezes se utiliza dessa instrumentalidade, a fim de ensinarmos lições eternas. Deus nos leva para o deserto. Ele quer que aprendamos a depender dele totalmente, para isso, o Senhor usa vários instrumentos, inclusive o sofrimento. O Senhor é pedagogo por excelência. Ele tem os melhores conjuntos de ideias acerca do ensino. Além disso, ele tem os mais excelentes métodos, o mais sublime conteúdo e propósitos superiores para com o seu povo. Seu objetivo é aprimorar o seu povo escolhido. Para isso, ele utiliza as provações, por intermédio das quais, ele forja o nosso caráter e robustece a nossa fé.

3) O PROPÓSITO (Dt 8. 2, 16). “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo o qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarentas anos, para te humilhar, para te provar para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos . [...] e, afinal, te fazer bem”. A humilhação é um instrumento utilizado pelo Senhor para esmagar o orgulho humano. Por meio dela, o Senhor arranca a capa da autoconfiança. Ela é uma ferramenta, por meio da qual somos levados a confiar no Senhor nosso Deus. Deus almeja realizar sonhos maiores em nosso favor. Seus propósitos para conosco são elevadíssimos. O seu maior interesse é a questão interna. Seu objetivo é levantar a cortina do nosso coração. O propósito divino é diagnosticar quais são as prioridades do nosso coração. Deus nos humilha e nos prova para conhecer os segredos do nosso coração. Com isso, Deus faz com que conheçamos o nosso próprio coração. A crise é uma excelente oportunidade para Deus trabalhar em nós e posteriormente operar por meio de nós. Ele usa as crises para diagnosticar as prioridades do coração. Deus não quer que o seu povo se esqueça dos seus feitos. Deus sabe o que é melhor para o seu povo. Ele tem sempre o melhor para os seus filhos e filhas.

Os tempos mudaram, mas os métodos de Deus ainda são os mesmos. Eles não mudam no decorrer dos séculos. A família de Deus ainda aprende com as lições do passado, por meio do sofrimento e alcança sempre objetivos mais profundos. Além disso, todas as experiências do povo de Deus no passado destacam o fato de que ele jamais foi autônomo. Ele depende do Senhor quanto ao cuidado, à provisão, à proteção, e, sobretudo o perdão. Esquecer tais fatos é uma demonstração de ingratidão e orgulho. Portanto, a pedagogia do deserto nos ensina por meio do passado, nos ensina pela instrumentalidade do sofrimento e efetua em nosso favor propósitos sublimes. Não pare de aprender. Ainda existe um longo percurso de aprendizado que devemos e precisamos trilhar. Não ignore os fatos históricos. Tire lições do sofrimento. Veja com as lentes da fé os propósitos de Deus em seu favor. A providência secreta está trabalhando por você. Deus te abençoe!