sábado, 20 de setembro de 2008

A adoração e os ídolos

A Adoração e os Ídolos

Já fora dito que nas tribos mais longínquas, onde não há educação, saúde e saneamento etc.; há, no entanto, adoração às divindades. O homem é ávido por adoração. E neste afã de cultuar um ser superior ou a divindade, ele cria os seus deuses, bem como o modo de adorá-lo, com base em suas próprias compreensões e imaginações humanas.
Mas, no que diz respeito ao povo do Deus Vivo, não é assim, ou pelo menos não deveria ser. O povo de Deus não deve criar ídolos conforme suas elucubrações, porque o Deus Vivo e Verdadeiro é Espírito santíssimo e puríssimo (J 4. 23-24). Ele não se permite ser moldado pelas mãos dos homens (Ex 20. 4-5). Ele não permite adulteração daquilo que já foi estabelecido para adorá-lo. O modo de serví-lo foi estabelecido por Ele mesmo.
Contudo, volta e meia criamos ídolos e poluímos a adoração. Substituímos o Deus Criador pela criatura. Trocamos o intangível pelo tangível e visível. Muitas vezes, de várias maneiras a igreja se porta como os hebreus ao pé do Monte Sinai e a liderança como Arão (Ex 32. 1-10). Na subida do Sinai, lugar em que Deus se revelou, comunicou com o povo e legislou; ali mesmo, o povo construiu o seu ídolo e adorou o bezerro de ouro. De maneira “irrefletida” e frenética o povo pressionou o sumo sarcedote para que ele construísse um Ídolo, algo que fosse palpável e visível. O sacerdote não suportou a pressão do povo. Daí Arão passou de mediador a santeiro. De sumo sarcedote a escultor de imagem.
Em nosso contexto não é diferente no que tange a coerção do povo. A pressão em nossa geração é como uma grande avalanche. O povo é pagão por natureza, e, portanto não suporta o culto estabelecido por Deus. O povo é insaciável por objetos de culto e os líderes são como Arão. Todos nós temos um pouquinho do sumo sacerdote Arão. Para segurar e atrair o povo criamos mecanismos e artifícios. É verdade, que os ídolos os quais temos edificado hoje, nem sempre são estatuetas, nem sempre são esculturas, mas eles estão entre nós, com toda sua pompa e sutileza.
Nossas igrejas estão impregnadas dos “bezerros” modernos para entreter o auditório, a música, a arte, os amuletos condenados pelos profetas e apóstolos e também pelos reformadores estão nos suntuosos templos de adoração e estão competindo com a adoração genuína. E neste caso, o foco não é o Deus transcendente e imanente, mas todos estes artifícios visuais, palpáveis e sensitíveis. Os objetos outrora condenados e repudiados pelo Senhor dos Exércitos tem substituído a adoração ao Deus vivo.
Todavia, os profetas de Deus precisam tocar a trombeta e conclamar o povo a retornar a verdadeira adoração, onde o objeto de culto é o Deus Eterno, o mediador é Cristo Jesus, homem, o santificador é o Espírito Santo e o modo de adorá-lo está estabelecido em sua santíssima Palavra. É tempo da adoração em espírito e em verdade. Portanto, abandonemos os ídolos e voltemo-nos a verdadeira adoração, cujo Deus Trino seja foco do nosso culto. Amém.

15 comentários:

Cris e Fê disse...

Ainda existe Profeta! Graças a Deus pela iluminação do Espirito na elaboração deste texto que nos faz refletir a respeito dos desejos de nossos corações e da vontade revelada na escritura e na pessoa de Cristo, resumida em Lucas 4:8 "Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto.".Que Deus ti abencõe mano Fábio. Abraços de seu irmão Cristiano.

Lu disse...

Bem, há de se ressaltar que muitas vezes a idolatria dentro da igreja não acontece só por meio de objetos; pelo contrário.
Hoje vemos que líderes, pastores, lideranças de ministérios, líderes de louvor (e digo cantores e instrumentistas) são idolatrados, colocados em um pedestal que não os pertence.
O pior é saber que algus aceitam a glória e honra ao invés de recusá-las e repassá-las para o verdadeiro Dono - Cristo Jesus, o primeiro e único, digno de toda honra, glória e louvor.
COmo se naõ bastasse, a idolatria também está em nós mesmos. Como? Quando temos nosso ego amaciado ou somos eligados por algo de bom que fizemos, quando crescemos de alguma forma ou ainda quando recebemos o mérito por algo realizado. Mas muitas vezes nos esquecemos de que todo o mérito é de Cristo e que sem Ele não teríamos o mínimo de capacidade para ao menos respirar.
Ídolos estão em toda a parte e por isso cabe a nós pedirmos a Deus discernimento espiritual para identificá-los em nosso meio; sabendo que eles existem tanto externa quanto internamente. A idolatria é uma constante vigilância do nosso eu e daquilo que nos rodeia.
Que Deus nos abençoe e nos capacite a identificar e repudiar os vestígios da idolatria, e ainda, que Ele nos fortaleça para fixarmos nossos olhos Naquele que realmente merece ser adorado, louvado e reconhecido como "Autor da nossa fé".

Pr. Emerson Marçal disse...

Muito bom Pr. Fábio... é isso ae mano... temos que ter uma adoração completamente teocêntrica... Os ídolos muitas vezes são sutis, e estão dentro do coração daquele que não se prosta diante de uma estátua, mas se prosta diante do dinheiro, dos prazeres da vida e abandonam o Deus verdadeiro para servir a esses... Abraços do Mano...
Emerson..

Milton Jr. disse...

Fábio,
Muito bem colocado. Devemos lembrar, entretanto, que a idolatria se expressa de várias outras maneiras, e não somente quando uma imagem é esculpida. Calvino afirmou certa vez que "o coração do homem é uma fábrica de ídolos".
Um ídolo é alguma coisa ou pessoa, qualquer coisa ou pessoa, do qual nós dependemos para ser felizes, plenamente realizados ou mesmo seguros.
Quando depositamos nossa esperança em outro que não Deus, quando buscamos alegria fora de Deus ou achamos que dependemos de qualquer coisa fora do Senhor para ser felizes, estamos também cometendo idolatria.
O homem foi criado para o Senhor. Nosso catecismo afirma que o fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre. Quando entendemos isso, podemos renunciar aos ídolos e nos satisfazer inteiramente na pessoa bendida de nosso Senhor Jesus Cristo.
Parabéns pelo post.
Milton Jr.
www.mentecativa.blogspot.com

claudio disse...

Ricas palavras.Com certeza quero estar falando um pouco mais deste texto pessoalmente, na nossa próxima aula aqui em casa.
Que DEUS esteja sempre te iluminando.

Ashbel disse...

Caro Fábio,
Muito boas palavras. Que Deus continue iluminando assim o seu ministério. Muito pertinente e urgente visto que a adoração nas igrejas evangélicas tim sido causa do afastamento de Deus das nossas igrejas. Note que no texto q vc cita o povo queria adorar o verdadeiro Deus, mas o fizeram conforme acharam melhor, sem observar que Deus não lhes ordenara aquilo. Praticaram então loucura e abominação contra Deus. Exatamente o mesmo que acontece qdo tentamos adorá-lo sem observar o que Ele ordena. As vezes até sincera e abnegadamente, mesmo assim Deus abomina a adoração e todo serviço religioso que não tem seu padrão, seu modelo claramente firmado na Sua Palavra ("errais não conhecendo...").
Parabéns. Continue firme assim. Nunca negocie sua fé. Deus te abençoe.
Pb Simonton

Anderson Gonzaga disse...

Olá Fábio,
É um prazer poder comentar no seu blog, especialmente num post tão pertinente.
Nesses dias em que a tônica é ser feliz, vemos uma crescente contaminação do culto a Deus por essa ideologia, por um hedonismo dissimulado, um antropocentrismo cada vez mais presente em nossas práticas litúrgicas. O emocionalismo tem tomado lugar do culto racional, verdadeiro, espiritual. Vemos práticas litúrgicas cada vez mais horizontais.
Às vezes cedemos a isso sem mesmo perceber, envoltos em nossas emoções e achando que estamos agradando ao Deus vivo.
Cabe-nos constante vigilância à luz da Bíblia, arrependimento e retorno ao padrão ordenado por Deus em sua Palavra.
Que Deus continue com você, dando-te discernimento e compromisso em ser fiel unicamente à Palavra d'Ele.
Anderson.

Jean Carlos Serra Freitas disse...

Fábio, espero que vc continue atento sobre os rumos deste e de outros assuntos que envolvem a nossa igreja.
abração e que Deus o abençoe muito.

rodrigo disse...

ainda bem q existe pastor q foi instituido verdadeiramente por DEUS.para nos traser um texto q com certeza e a vontade de DEUS ,para nossas vidas q o SENHOR TI ABENÇOE

Pr. Walderson Júnior disse...

Querido e amado Pr. Fábio.
Enquanto houver o homem, haverá adoração!
Enquanto houver adoração, haverá adoração ao Eterno ou à criatura!
Enquanto estiver nesta terra terei a esperança de ver meu Rei e Senhor sendo adorado em espírito e verdade! Por isso vamos tentar viver a adoração a Deus, ainda que saibamos que para agradar ao Altíssimo precisemos de fé, e fé é presente de Deus. Vamos nos deleitar no presente que Deus nos deu!
Bjo no coração!
Em Cristo, Aquele que nos livra de nós mesmo, Júnior!

Jônatas Abdias disse...

Caro Fábio. Não precisa publicar meu coment... Lembro-me bem de ti! Que bom que tens apreciados os textos, fico feliz. Bom, dou-te liberdade para publicá-lo por este canal, é claro, dando as devidas referências...rs. Também pode colocar meu end no seu rol de sites indicados, se assim desejar... aguardo notícias suas...
Aos demais irmãos colaboradores deste, meus cumprimentos.
ABcs
Rev. Jônatas Abdias

Fábio Henrique disse...

Rev. Jônatas, muito obrigado pelo comentário. A propósito, o endereço do seu blog já se encontra em minha lista de favoritos, bem como em minhas recomendações. Abs,

Lic. Fábio Henrique

PETHO disse...

O propósito de prestar culto é o desejo intrínseco de externar amor aquele ou aquilo que está sendo cultuado... Mas Deus toma a iniciativa de se revelar ao homem e ensina-os através de leis e princípios os seus caminhos e sintetiza todos os seus ensinos em um único mandamento: "Amarás o Senhor teu Deus de todo seu coração, toda sua alma e de todo seu poder"; Que nosso coração se derrame nesta certeza de que que o Senhor Deus é o único. Que Deus continue te agraciando meu kro Fábio com boas matérias assim. Abração!Seu amigo Patrício Rocha!

wellington disse...

Essa mensagem é muito apropriada para os dias atuais e se eu tiver uma oportunidade gostaria de saber mais detalhes a respeito dos "mecanismos e artifícios
“bezerros” modernos". A paz de Cristo.Wellington

Fábio Henrique disse...

Wellington, fiquei feliz em ver seu comentário no blog. Olhe, se vc quiser conversar sobre o assunto num dia desse, terei muito prazer em conversar sobre. Abs em Cristo, nosso comum Salvador e Senhor,
Lic. Fábio Henrique