terça-feira, 29 de julho de 2014

FÉ DO COMEÇO AO FIM

Grupo de corredores de maratona no backgr abstrato do redemoinhoA vida cristã pode ser comparada a uma maratona. A corrida tem início quando uma pessoa sem esperança e sem Deus no mundo é regenerada pela ação do Espírito Santo. A partir de então, o indivíduo tem um novo começo existencial, pois é habilitado a confiar em Cristo para a sua salvação. Com o novo nascimento, surge o florescimento da fé salvadora no coração do redimido. Depois disso, o salvo começa a maratona da fé.


A regeneração coloca o crente na pista da fé, porém a corrida exige perseverança e fé até o fim. Como cristãos devemos participar da carreira da fé, “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus” (Hb 12. 2). No percurso não existe trégua nem férias para a fé. Não podemos vacilar nem retroceder. Nosso olhar precisa ter como objeto da fé Jesus Cristo o tempo todo. Não podemos tirar dele a nossa confiança. Nossos olhos precisam estar postos em Cristo. Mesmo quando as situações adversas são maiores ou mais fortes do que a nossa capacidade de suportar, não podemos deixar de olhar para o nosso Salvador.


A experiência de Pedro é ilustrativa. A Bíblia diz que, certa feita, os discípulos estavam em um barco no meio do mar (Mc 6. 47). Eles haviam perdido o controle da situação. Porém, o Senhor os viu em dificuldade. Tendo constatado a situação dificílima enfrentada pelos discípulos, Jesus caminhou em direção a eles, andando sobre o mar, para os socorrer. A princípio, porém, pensaram tratar-se de um fantasma e gritaram, pois jamais haviam visto tal feito. Todavia, Jesus disse: “Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!” (Mc 6. 50). Diante disso, Pedro disse: “Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas” (Mt 14. 28). E Jesus disse: “Vem!” (Mt 14. 29).


A seguir, a Bíblia diz que “Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus” (Mt 14. 29). Num primeiro momento, os olhos de Pedro estavam fixados em Jesus. Ele não olhava para as circunstâncias. Enquanto manteve seus olhos em Cristo, pode caminhar de modo sereno sobre as águas do mar. Todavia, a Bíblia diz que, num certo momento, “Reparando, porém na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: salva-me, Senhor!” (Mt 14. 30). Aqui vemos o quanto é necessário manter a confiança o tempo todo em Cristo. Não pode haver espaço para mudar o foco.


Talvez você tem sucumbido durante a jornada, porque tantas vezes as intempéries da vida, as tormentas que apareceram durante a corrida e as tempestades que surgiram fizeram muito barulho. Elas causaram pavor e provocaram medo. Por isso, muitos têm naufragado durante o percurso, porque não entenderam que a vida cristã é uma maratona que exige fé constante. Muitos não conseguem completar a percurso da maratona porque durante a corrida abandonaram a fé em Cristo.


No entanto, precisamos entender que a largada da corrida tem como início a fé. O seu percurso exige o exercício da fé. A cruzada da linha de chegada também tem como elemento triunfante a fé. Sendo assim, não pare no meio da pista, continue correndo até completar a maratona da fé. De acordo com a Bíblia, o crente só pode guardar a fé depois de completar a carreira da fé. Veja o que diz o apóstolo Paulo: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé” (1Tm 4. 7). Ninguém está autorizado a dispensar a abandonar a fé enquanto não concluir a maratona. Nossa vida cristã começa com a fé, precisa ser desenvolvida pela fé e necessita ser concluída com a fé.

Nenhum comentário: