quarta-feira, 5 de junho de 2013

UMA FAMÍLIA FELIZ

UMA FAMÍLIA FELIZ
A felicidade é almejada por todos os gêneros, por todas as classes, por todas as faixas etárias. Todos querem ser felizes, mas nem todos encontram o caminho da felicidade. Muitos buscam a felicidade, mas nem todos se submetem as normas estabelecidas por Deus para recebê-la. Diversas vezes as pessoas pensam que serão felizes quando adquirirem algum patrimônio seja uma casa ou um carro. Tantas vezes nutrimos uma falsa esperança de que se concluirmos o nosso curso acadêmico, finalmente, seremos felizes. Outras vezes achamos que uma determinada situação vai proporcionar a felicidade da nossa família. Entretanto, tudo não passa de um ledo engano. Não somos felizes porque efetuamos algumas conquistas. Nossas conquistas podem até trazer satisfação para a nossa alma, mas não tem poder para nos tornar felizes.

Para uma melhor compreensão precisamos corrigir certos equívocos acerca da felicidade. Existem pelo menos três concepções equivocadas a cerca da felicidade familiar:

1) Felicidade não é perfeição. Muitas famílias confundem felicidade com perfeição. Acham que serão felizes quando o cônjuge e os filhos estiverem de acordo com os elevados padrões construídos pela família. Como a expectativa do marido perfeccionista não é cumprida nem a exigência da esposa detalhista não é atendida, logo ficam privados da felicidade, porém, tal cobrança não ocorre somente na esfera da relação conjugal. Inúmeras vezes os pais perfeccionistas atam fardos pesados sobre os seus filhos. Como os filhos não conseguem enquadrar-se no padrão erigido, entram numa rota de colisão relacional com os pais.

2) Felicidade não é sentimento. Aqui urge a necessidade de distinguir alegria de felicidade. Para muitos, a felicidade é sinônimo de alegria. Embora a alegria seja um componente da felicidade, no entanto, ela não deve ser confundida com felicidade. Alegria é um sentimento circunstancial, felicidade é um estado de espírito. Uma pessoa feliz pode ser assaltada pela tristeza, porém, uma pessoa sorridente pode ser extremante infeliz. Nossas manhãs nem sempre são marcadas por alegria indizível.

3) Felicidade não é sinônimo de ausência de crises. Uma família feliz também enfrenta dramas colossais. Ela não está isenta de problemas. Famílias felizes também ficam de luto, convivem com o drama da dor e da perda. Também são atacadas por diversas, repentinas e terríveis enfermidades.
A felicidade é um ensino bíblico. Encontramos na Escritura diversas vezes a expressão: “bem aventurado”, a qual pode ser traduzida por “muito feliz”. Portanto, Deus quer que sejamos felizes. No entanto, a felicidade nunca está atrelada aquilo que temos, mas, com quem somos, bem como com o que fazemos. Vejamos dois princípios a partir dos quais a felicidade se processa: “Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos” (Sl 128. 1). Temos aqui dois princípios inegociáveis para uma família que quer ser feliz. 

Em primeiro lugar, uma família feliz é aquela cujos membros temem a Deus. O princípio aqui se aplica a todos os membros da família. De sorte que, o pai, a mãe e os filhos que temem a Deus são felizes. Eles são felizes na família, porque se relaciona corretamente com o seu Redentor. Quando os membros da família se relacionam de acordo com o ensino bíblico. Logo, tal família será muito feliz.
 
Em segundo lugar, uma família feliz é aquela cujos membros fazem a vontade de Deus. O andar com Deus é um hebraísmo que traz a ideia de fazer a vontade do Senhor. Não basta saber que Deus tem uma vontade. A sua vontade deve ser conhecida, mas também deve ser obedecida. A família que deseja ser feliz deve levar muito a sério aquilo que Deus ordena em sua Palavra.

Ninguém pense que o vinculo relacional está dissociado da relação daquele que criou a família. A relação da esposa com o marido sinaliza que tipo de relação tem com Deus. O modo como o marido trata a esposa, revela o grau de temor que é abrigado em seu coração. Da mesma forma, o termômetro que afere o quanto os filhos honram aos pais caracterizam o quanto honram a Deus. O empenho dos pais na educação de seus filhos vai evidenciar o seu comprometimento com o Senhor. De sorte que, a felicidade de uma família tem início com Deus. A propósito, como você tem se relacionado com o Senhor? Sua família é feliz? Na prática, uma família feliz é aquela que se relaciona corretamente com o Senhor, cujo relacionamento é medido pelo modo como os membros da família se relacionam entre si.

Nenhum comentário: