sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ENFRENTANDO AS CRISES DENTRO DO PROJETO DE DEUS

ENFRENTANDO AS CRISES DENTRO DO PROJETO DE DEUS
As crises fazem parte da história da humanidade. Elas surgem tanto para o crente fiel quanto para o iníquo, homem que não teme a Deus. Na verdade, elas não fazem acepção de pessoas. Todas as faixas etárias e classes sociais estão na “mira” ou sujeitas às crises. Assim como o sol nasce sobre maus e bons e as chuvas vem sobre justos e injustos, da mesma forma, as crises chegam para todos. O ensino bíblico é fértil acerca de homens e mulheres fiéis a Deus, mas que enfrentaram crises duríssimas e agudas. Vários servos do Senhor foram assaltados por elas. O patriarca Abraão as enfrentou. Logo após o seu chamado, Abraão deparou-se com uma crise generalizada (Gn 12. 1-10). Seu filho, Isaque, também não escapou das crises (Gn 26) e tantos outros. Portanto, equivocam-se aqueles que ensinam sobre a ausência de crise na vida cristã.
As crises aparecem de diversas formas, em vários tamanhos e com dimensões diversificadas. Existem muitas maneiras de enfrentar as crises. Podemos enfrentá-las com os olhos fitos no Senhor, ou fazer de conta que elas não existem, ou ainda nos esquivarmos delas, mas nem sempre é possível tomar a terceira decisão. Vejamos à luz do texto da Escritura como enfrentar as crises dentro do projeto de Deus.
1) Obedeça aquilo que Deus ordenou (Gn 26. 1- 3, 6).
“Sobrevindo fome à terra, além da primeira havida nos dias de Abraão, foi Isaque a Gerar, avistar-se com Abimeleque, rei dos filisteus. Apareceu-lhe o SENHOR e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser; habita nela ...” (Gn 26. 1-3a). O texto continua e diz: “Isaque, pois, ficou em Gerar” (Gn 26. 6). A luz do Livro de Gênesis esta era a segunda crise mundial. A crise era assoladora. A fome imperava por todos os lados. A morte era vista à distancia. O solo rachado pela sequidão da estiagem de chuva estava permeado de esqueletos de animais. Em meio à crise Deus apareceu a Isaque e lhe falou. Na verdade, Deus lhe deu uma ordem: “Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser; habita nela ...”. Isaque ficou onde Deus mandou.
Quantas vezes tomamos decisões em nosso coração sem antes conhecer ou consultar a vontade de Deus. Os atalhos não se coadunam com o projeto do Senhor para nossa vida. As crises colocam em nosso caminho muitas encruzilhadas, mas nestas situações o melhor caminho a seguir não é o largo. As crises devem ser enfrentadas dentro do plano de Deus. A obediência é o caminho da vitória em tempos de crises. O coração de Isaque já havia tomado uma decisão, descer para o Egito, mas o decreto de Deus o fez mudar de rota.
2) Confie naquilo que Deus prometeu (Gn 26. 2-4).
“Apareceu-lhe o SENHOR e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser; habita nela, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu Pai. Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras” (Gn 26. 1-3). As crises têm funções pedagógicas. Elas forjam o nosso caráter. Elas robustecem a nossa fé. Mas, também elas não duram para sempre. Deus deu uma ordem imperativa a Isaque, mas também lhe fez uma promessa gloriosa. Isaque tinha a crise em sua volta, por outro lado, ele tinha a promessa de Deus.
As crises nos amedrontam, roubam nossa paz, ofuscam a nossa esperança e abalam a nossa fé. O herdeiro da promessa estava diante de um dilema. Ele tinha a opção de descer para o Egito sem a presença de Deus ou ficar na terra da crise com a presença e a promessa do Deus que não pode mentir. As crises devem ser enfrentadas com confiança naquilo que Deus prometeu. Isaque obedeceu a determinação de Deus. Isaque confiou na promessa de Deus. Por causa disso, ele tornou-se um homem bem sucedido no meio do deserto. Na mesma terra em que havia crise, Isaque semeou. Na mesma terra que imperava a morte, Isaque colheu em abundância. Na mesma terra que havia crise, a mão do Senhor o abençoava. Porque Isaque obedeceu a voz de Deus, o Senhor o abençoou (Gn 26. 12). Porque Isaque confiou na promessa de Deus, Deus o fez um homem próspero e rico (Gn 26. 13).
A crise enfrentada por Isaque era de fome. Talvez a sua crise seja outra. Quem a sua crise seja no casamento. A sua vida conjugal está a beira de um colapso. Talvez a sua crise seja física. A sua saúde está fragilizada por alguma enfermidade incurável aos olhos humanos. Há tantos tipos de crises que poderíamos destacar, mas ninguém melhor do que você para destacar com precisão a sua realidade. Seja qual for a sua crise, não negocie a suas convicções, não negue a pessoa de Deus e sua Palavra e continue crendo em suas promessas. Deus quer que os seus filhos e filhas o obedeçam e creiam nas suas promessas. A vitória em tempos de crises passa pela via da obediência e da fé. Enfrente suas crises dentro do projeto de Deus. Obedeça ao Senhor e confie em suas fiéis promessas. Ah! Saiba de uma coisa: as crises não duram para sempre. Elas tem começo, mas também tem um fim.


Nenhum comentário: